ArtigosO que pensa

Produção maranhense levada a sério

Artigo do governador Flávio Dino publicado em em 08/07/2018

As riquezas naturais existentes no Maranhão foram, ao longo dos séculos, fonte de reconhecimento por todos que por aqui passaram. Elas foram exaltadas em cartas ao além-mar, canções populares, nas artes e em sermões religiosos. Somos um estado rico em água, em terras cultiváveis e de gente trabalhadora: ingredientes fundamentais para o desenvolvimento.

Unindo esforços ao que a natureza nos proporciona, o Estado tem o dever de participar como incentivador e dinamizador dessas características, integrando os setores econômicos e possibilitando um ambiente de negócios saudável. Para que isso ocorra, é preciso que o governo aja como parceiro de pequenos, médios e grandes produtores.

Pensando desta forma, entregamos durante a última semana 74 patrulhas agrícolas a municípios para auxiliar no trabalho de crescimento da produção agropecuária maranhense. Desde 2015, foram 316 máquinas entregues pelo Governo do Estado.

Defendo a ideia de que, para alcançar um desenvolvimento consistente para cada região, devemos apostar no adensamento das cadeias produtivas do Maranhão. Assim, cada uma delas pode dinamizar a economia local de acordo com as condições e vocações.

Logo em nosso primeiro ano de governo, demos início ao programa Mais Produção. A integração dos trabalhos entre as secretarias ligadas ao setor foi fundamental para que, ao longo de três anos, obtivéssemos muitas conquistas.

Aumentamos a assistência técnica com a contratação de especialistas que vão a campo auxiliar agricultores e criadores a otimizar resultados. Realizamos feiras tecnológicas em diferentes cidades, disponibilizando ao público-alvo formas de tornar suas ações ainda mais eficientes. Apoiamos ainda a comercialização, com reduções tributárias que valorizam o que é feito em nossa terra.

Destaco, ainda, o fomento em dinheiro a dezenas de milhares de famílias, no âmbito de ações como a implantação de cisternas, de “sisteminhas” e de sistecs, métodos de organização produtiva que propiciam autonomia econômica e segurança alimentar.

Essas estratégias trouxeram resultados importantes, como foi o crescimento recorde do PIB maranhense em face do restante do país. Assim, nosso Estado foi o que mais cresceu no último ano e acredito que em 2018 teremos a continuidade do crescimento sustentável de nossa economia.

Tudo isto ocorre porque investimos em políticas de desenvolvimento com seriedade. Por essas iniciativas, nossa gente encontra melhores condições de construir seu próprio caminho. O projeto mais grandioso para o nosso Estado é exatamente este: o reencontro do Maranhão com suas riquezas e dos maranhenses com seus direitos.